sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

An Old House...onde vive minha alma

Minha alma vive durante muito tempo 
Numa grande.. grande casa 
Onde existe cinquenta portas 
E Cem Janelas.. 
E numa delas leva ao teu coração. 
No inicio do outono. 
passei por ela e tentei espreitar.. 

Tudo que eu conheço 
Vem de conhecimento adquirido, tais como.. 
O cheiro do mar e do orvalho,
A sensação da terra molhada, quando a piso
O uivar...o choro de uma criança.. 
Que eu!!! já me apaixonei antes. 
E tu?

Sabes?
Há uma hora para as coisas boas na vida, 
Uma hora para matar a dor na vida. 
Há um minuto para sonhar e sentir a felicidade 

Nesta mesma casa.. 
Grande e velha existe também cinquenta camas 
E uma delas leva a tua alma... 
Até à minha.. 
É uma cama de medo, uma cama de ameaças, 
Que se lamenta e se cobre com lençol frio 

Tudo que eu sabia 
Tudo o que aprendi..foi posto à frente.. 
Confrontada e contrariando.. 
Desisto da lógica 
Desisto do porquê 
Não existe horas para mais medos..mas 

Há uma hora para as coisas boas na vida, 
Uma hora para matar a dor na vida. 
Existe uma hora para fazer apostas na vida, 
Eu já joguei demais.. Jogos de azar na vida 
Há um minuto para sonhar e sentir felicidade 
Estou dentro dele...neste momento..

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Proibição?



Não será preciso proibir aquilo a que nenhuma alma humana aspira..ou tem desde que nasce..
A sua natureza..
O que nos faz recuar muitas da vezes??!!
É precisamente o modo como está formulada a proibição nesta bela sociedade..
como o "Não matarás".." Não adulterás"..
Moldes que nos poderiam dar a certeza de descendermos de uma série infinitamente longa de gerações de assassinos..
Ou simplesmente de uns grandes mulherengos ou cabronas...que possuíamos já no sangue..
Ou simplesmente teremos a paixão de matar..de F*...porque não??
O que será mais apelativo para a nossa consciência?
Importar com o que digam de nós?
Ou fazer realmente aquilo que te faz sentir viva?
Por favor!! Peço...não me proíbam de ser o que sou..
Não proíbam me de ser rebelde..
Não proíbam me de querer pôr o dedo no nariz e tirar alta macaco e expor num papel ou num vidro..
Não proíbam me de pôr a língua de fora quando algo não me agrada..
Não proíbam de dizer alta palavrão da boca para fora quando me sinto frustrada ou até excitada..
Não proíbam me de sussurrar nos ouvidos de alguém e dizer.." Quero-te..já"

Shiuuuu Não proíbam nada..

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Apenas Caminho


Tenho estado a seguir a minha viagem..
Ao ar livre..numa grande e escura estrada 
Se queres acompanhar-me
Acompanha-me num tempo integral..
Onde o tempo estanca..
Esteja frio ou quente..
Posso sentir a tua respiração..mesmo atrás de mim
Junto ao meu pescoço
Sinto um arrepio..mas
Não me subjugues
Porque há muito que viajo 
Nesta grande e escura estrada..com muito empenho



Ouço os corvos...ouço os lobos..
Eles seguem os meus passos desde o inicio
Caminho rápido
Sinto-me acompanhada..mas..
Estou sozinha na noite
Tento não distrair-me
Tento não meter-me em confusão..
Passando pela lei da natureza animal..
Sem intrometer-me..mas
Tenho uma guerra na minha cabeça
Então eu simplesmente caminho, simplesmente caminho..

Sou obcecada pela Liberdade
Que muitas vezes chego a um certo ponto..
Que sinto-me aterrorizada, 
Que nem me atrevo a falar  à cerca disso
Simplesmente caminho, simplesmente caminho..

Estou cansada de sentir-me..
Como se eu fosse uma louca
Estou cansada de caminhar...
Esta grande e escura estrada sozinha..
Até cansar-me de olhar para as estrelas e pedir orientação..

Como disse..

Tenho estado a seguir a minha viagem..
Ao ar livre..numa grande e escura estrada 
Se queres acompanhar-me
Acompanha-me num tempo integral..
Onde o tempo estanca..
Esteja frio ou quente..

Apenas espero um dia poder dizer..
Muito eu esforçei-me..
Be Wild, 
Do you have Fun?!
I Have, i'm fuking crazy
But I am Free... 
If you are?..So..Ride with me.


quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Filosofia da tanga


Nem sei bem como descrever o que sinto.
Nem sei pôr por palavras...pela ordem correcta o que senti, o que sinto e o que vou sentir.
Volto à estaca zero nesta vida.
Tudo me é estranho, mas ao mesmo tempo tão familiar.
Tudo vem parar aos meus pés..se assim o permitir..
Mas quando tento puxar um pouco a cortina para espreitar um pouco mais...desapareço.
Tanta vontade de viver.. tanta vontade de querer algo mais e diferente do que já vivi até hoje.
Mas com tanta barreira para alcançar o auge da minha essência.
Nunca satisfeita..
Busco perfeição...agora
Busco um novo eu..uma nova verdade..sem ter qualquer tipo de receio de represálias.
Ingratamente fui julgada por ser um ser que me é desconhecido que cheguei a por em causa a minha pessoa..
Estaria a ser incorrecta?
Estaria a ser egoísta?
Não...
Estava simplesmente a morrer aos poucos
Algo estava a sugar a minha energia e a levar-me para o poço, do qual, estava a ser difícil de trepar..
Disse isto muitas vezes aqui e até para mim mesma que nunca mais iria vergar por ninguém e cometi o mesmo erro.
Vivi mais uma história..para virar mais uma página de um capitulo da minha vida.
Novo capitulo:
Buscar pessoas autênticas e que transmitam-me confiança e saibam valorizar cada momento que se passa sem se ser descartável.

Um grande desafio hoje em dia
Vive-se na Era da contradição...
Tudo se faz de forte..
Tudo se faz indiferente..
Mas tudo é tão carente e sedento de amor..
Tanto se quer muito..como logo a seguir..não se quer nada.
Tanto se deseja no instante...logo morre.

Anda tudo armado em animais com cio...é o que é ( nesta merda de filosofia).
Já estou como uma canção dos Nine Inch Nails..." I wanna fuck you like an animal.."



segunda-feira, 20 de junho de 2011

A Vida Comanda te

De facto a vida é uma mão cheia de surpresas..uma grande lição, do qual, só temos que aprender consoante o que ela nos põe à nossa frente.
Encaramos tudo como um desafio. Às vezes, encaramos com um certo receio, outras..com algum entusiasmo...quem não o faz?
Quem não sente, medo?
Quem não sente receio de avançar?
Não seremos humanos para assumir-mos tal?
Seremos seres assim tão perfeitos? Que chegamos a ser arrogantes com nossa própria vida que nos é debitada nas mãos e desafiamos e implicamos com ela...reclamando..queixando e não damos o devido valor ao simples facto de...respirarmos e ouvir o nosso coração bater?
Bem...hoje aprendi..
A vida é ilegível. Acontece e desaparece. Não há inteligência, nenhum código, nenhuma regra que a descodifique ou que ela se regule...ela é a tua Superior, ela é que tem o poder em ti.
Nasce de uma linguagem neutra, imparcial e virgem que surge no teu corpo de dia para dia e vai te ordenando a movimentar te num espaço...num lugar..numa situação.
A existência da vida não fala...comanda te.
A existência da vida não tem língua... vem em linguagem-nada.
É a vida que te dá o teu destino.
É a vida que carimba a tua essência assim que dás o primeiro suspiro saído do ventre da tua mãe.
Não temos como fugir dela.
A nossa essência é a nossa força vital. A força de que o teu corpo e mente alimenta-se.
É complicado de facto viver num mundo com tanta essência diferente, mas...é o nosso mundo, é o nosso planeta.
Então? Devemos negar a nossa essência? Devemos ser cínicos?Devemos moldar? Devemos aprender?

Bem...isso fica guardado e confessado para cada um de nós.

Brandon Lee antes de morrer citou numa entrevista..

"Because we don't know when we will die, we get to think of life as an inexhaustible well. And yet everything happens only a certain number of times, and a very small number really. How many more times will you remember a certain afternoon of your childhood, an afternoon that is so deeply a part of your being that you can't even conceive of your life without it? Perhaps four, or five times more? Perhaps not even that. How many more times will you watch the full moon rise? Perhaps twenty. And yet it all seems limitless..."

By Paul Bowles Book: Sheltering Sky"




sexta-feira, 8 de abril de 2011

As Verdades

Desde o ano passado que não escrevo.
Uso pouco o meu blog para escrever pensamentos e partilha de opiniões em relação ao que rodeia-me no dia a dia...seja directo a mim, como a amigos e familiares.

Falo...

Da verdade, esteja em que pessoa estiver, não se apaga por comparação com outra verdade e, qualquer diferença que possa parecer haver entre duas pessoas, o que é verdade numa não apaga de modo algum o que é verdade na outra. Podem ter mais ou menos adeptos e ser mais ou menos brilhantes, mas são sempre iguais pela sua verdade, que nunca é mais verdadeira nos grandes do que na arraia-miúda...uma Obra de Alexandre Hérculano titulada por "Arras por Foro de Espanha", que tive que ler para um trabalho da Faculdade.
Uma pessoa pode ter várias verdades e outra pode não ter nenhuma. A que tem várias pode ser mais apreciado e brilha mais nos círculos e no seu ambiente em que o outro não brilha, mas, na altura em que tanto um como outro são verdadeiros, brilham da mesma maneira.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Há crianças...e crianças


Muitos..
Têm a mania de dizer...que existe ainda uma criança dentro deles..
Outros dizem...todos nós temos uma criança em nós.
Não concordo...é subjectivo
No Campo mental...este sintoma é caracterizado como Sídrome de Peter Pan.
Este sídroma leva-nos a sermos alegres, pândegas despreocupadas, tendo uma inclinação para as gargalhadas troantes e para beber o que tiver à mão, procuramos permanentemente consolar-mo-nos. Somos capazes de feitos loucos, inconscientes e sabemos cantar, dançar e brincar enquanto roubam os tesouros da nossa vida, a inocência que muitas das vezes depositamos cegamente nos outros, por pensarmos que são iguais a nós.
Mas...
Se sentirmo-nos enganados, irritamo-nos imediatamente ou fazemos algo mais vil...ferimos o coração de quem nos magoou fazendo uma promessa ou dizendo uma mentira. Atravessam-se nas "nossas águas" territoriais e insultam-se com a sua desaprovação. Passam por nós uma segunda vez e atiramos pela borda fora...depois... após a pilhagem feita por nós, num conjunto de confiança e interesses já esgotado por nós...navegamos em direcção ao pôr do sol fingindo nunca termo-nos importado nem interessado.
Vitimas de Sídrome de Peter Pan às vezes confundidos e comparados a Piratas, não deixo de dar uma certa razão porque se pensarmos bem...Pirata não tem casa, anseia sempre por um lugar mesmo seu, somos consumidos por uma sede que nos força a uma viagem infindável para descobrir a paz de espirito.
A confiança não tem significado sem amor-próprio e é nessa condição crucial que nos falta na nossa vida intima por vezes pelo conflito de vários sintomas que insistem permanecer nas nossas cabeças: Ansiedade, conflito do papel Sexual, solidão, irresponsabilidade, narcisismo, chauvinismo.
Será que todas as crianças que temos dentro de nós...sente tudo isto que acabei de dizer?